www.cofig.com.brQuem SomosTOCPSTConsultóriosMédicosConvêniosInformaçõesFotos e VídeosFale Conosco

 

 

Acesso Rápido
aos Consultórios:

 

COFIG - Barra da Tijuca

 

COFIG - Madureira

 

COL - Leblon

 

PST - Pulsed Signal Therapy


 

O que é? Pulsed Signal Therapy (PST) é uma avançada terapia médica não invasiva destinada ao tratamento de um conjunto de doenças degenerativas, lesões, traumas agudos e dor crônica relacionadas ao sistema musculoesquelético, em especial da Osteoartrose.

 

 

Qualquer articulação do sistema musculoesquelético em movimento produz um campo elétrico. Esse campo é essencial para o processo de autorregeneração das cartilagens, ossos e outros tecidos conjuntivos (músculos, tendões e ligamentos). Fatores como idade, excesso de peso, desgaste, doenças ou lesões articulares provocadas pela prática do esporte causam o distúrbio desse campo elétrico e impedem, assim, os processos de reconstrução e regeneração dos tecidos articulares.

 

O tratamento PST consiste no envio à articulação afetada de campos eletromagnéticos pulsáteis de baixa intensidade e frequência variável. Os pulsos PST atuam na reconstrução do campo elétrico fisiológico, estimulando o metabolismo e a atividade dos condrócitos (células das cartilagens), reativando assim o processo inato e biológico de regeneração dos tecidos afetados.

 

PST é, portanto, um tratamento não invasivo que atua nos mecanismos biológicos de regeneração dos tecidos. Os campos magnéticos PST reproduzem um campo elétrico cujas propriedades são equivalentes às produzidas pelo próprio organismo.

 

A tecnologia PST é resultado de 30 anos de pesquisas, tendo sido apresentada em diversos congressos internacionais nos últimos anos, sendo objeto de várias dezenas de estudos e de publicações em revistas médicas e científicas que comprovaram seus resultados e sua eficácia. Foi lançada comercialmente na Alemanha em 1996 e tem sido adotada progressivamente em vários países da Europa, Américas do Norte e do Sul, Ásia e Oriente Médio.

 

 

Principais Indicações:

 

Nas Artroses - Doenças Degenerativas Articulares

• Osteoartrose do Joelho;
• Osteoartrose da Coluna;
• Osteoartrose do Quadril;
• Osteoartrose Femuropatelar;
• Condromalacia;
• Osteoartrose de outras Articulações.

 

Nas Síndromes Dolorosas Agudas da Coluna Vertebral

• Cervicalgias;
• Dorsalgias;
• Lombalgias;
• Discopatias;
• Ciatalgias.

 

Nas Tendinopatias

• Epicondilite Lateral e Medial (Tennis Elbow);
• Tendinite Supra-espinhal (Ombro);
• Tendinites dos Músculos Flexores e Extensores do Punho;
• Tendinite de Aquiles;
• Entesopatias;
• Bursites;
• Outras Tendinites.

 

Nas Lesões e Traumas Esportivos

• Lesões Parciais nos Ligamentos;
• Lesões Parciais nos Meniscos;
• Fratura de Stress;
• Pseudoartrose;
• Pós-operatórios Ortopédicos.

 

Adjuvante nas Doenças Reumáticas

• Artrite Reumatoide;
• Outras Artrites Inflamatórias não infecciosas.

 

 

Contraindicações:

 

• Portadores de marca-passo;
• Doentes neoplásicos (tumores) – só se remissão > 5 anos;
• Doenças inflamatórias causadas por bactérias ou infectocontagiosas;
• Insuficiência cardíaca severa;
• Arritmias;
• Angina peitoral;
• Epilepsia;
• Grávidas;
• Crianças menores de 12 anos;
 

Observação: Pacientes com próteses, parafusos ou material de osteossíntese PODEM efetuar o tratamento sem nenhuma restrição. Apenas próteses em puro ferro (Fe) são desaconselháveis. No entanto, há muito que tais próteses não são utilizadas. Ligas metálicas em que se inclua Fe são COMPATÍVEIS com o tratamento. Ligas de titânio (ou outras ligas metálicas), com componentes de plástico, são normalmente usadas nos casos de articulações artificiais, sendo também COMPATÍVEIS com o tratamento PST.

 

Tratamentos contraindicados durante a realização e até 6 semanas após o término da PST:

 

• Injeções e infiltrações intra-articulares;
• Outros tratamentos invasivos;
• Exercícios com carga pesada;
• Manipulação passiva das articulações.

 

 

Como Funciona?

 

Figura 1:

Assim como no cérebro e nos músculos do coração, as articulações, quando em movimento, produzem um campo elétrico biológico (figura 1). Estes campos enviam sinais que estimulam as células das cartilagens (condrócitos) a produzir os materiais adequados para a sua constante renovação (colágeno do tipo apropriado, além de proteínas como proteoglicanos e glicosaminoglicanos). Este campo, portanto, contribui para a capacidade de autorregeneração das cartilagens, ossos e dos tecidos conjuntivos.

 

Figura 2:

A articulação atingida por artrose, inflamação das articulações (artrite) ou por trauma é afetada (figura 2), ficando com a movimentação comprometida. Consequentemente, o campo é perturbado e os sinais elétricos vão se atenuando com o passar do tempo, num ciclo vicioso, causando a falta de reposição dos materiais que formam as cartilagens.

 

Figura 3:

Os equipamentos PST mimetizam os campos elétricos do corpo sadio, atuando na reconstrução do campo elétrico biológico. Os pulsos PST são recebidos como se fossem produzidos pelo próprio corpo humano, estimulando o metabolismo e a atividade dos condrócitos (células das cartilagens), reativando assim o processo inato e biológico de reparo dos tecidos afetados, interrompendo o ciclo vicioso da perda de cartilagem.

 

 

Como é Aplicada? Em nove ou doze sessões de uma hora, realizadas diariamente.

 

A terapia PST consiste em 9 ou 12 aplicações, cada uma com duração de uma hora, feitas diariamente. Em casos específicos, as aplicações podem ser feitas em duas sessões diárias, desde que espaçadas em pelo menos 5 horas.

 

Uma única interrupção poderá ocorrer — por até 2 dias, geralmente para o fim de semana, desde que pelo menos cinco sessões tenham sido completadas.

 

Para o tratamento da Coluna Vertebral (Cervical, Torácica e Lombar), Joelhos e Extremidades (Mão, Cotovelo, Calcanhar e Tornozelo) são indicadas 9 sessões. Para o tratamento dos Quadris e Ombros são indicadas 12 sessões.

 

Nos casos onde mais de uma articulação requeira tratamento, as respectivas terapias deverão ser consecutivas, nunca alternadas ou simultâneas.

 

Importante: Somente ombros e quadris são tratados simultaneamente, visto serem articulações interconectadas. O mesmo não ocorre com as articulações dos membros (braços e pernas). Assim sendo, a terapia PST não é eficaz no tratamento simultâneo dos dois joelhos, de ambos os pés, de ambas as mãos e assim por diante. Nesses casos, deve-se iniciar o tratamento pela articulação mais problemática e completar todas as sessões. Somente depois de completado o primeiro tratamento deve-se iniciar um segundo na outra articulação.

 

Para mais informações sobre os princípios físicos que explicam por que não tratar duas articulações simultaneamente, clique aqui.

 

 

Com conforto, simplicidade e comodidade.

 

A terapia é realizada posicionando-se adequadamente a articulação a ser tratada na bobina geradora do campo magnético. Não há necessidade do paciente se desvestir ou de utilizar traje especial.

 

 

O posicionamento será feito pelo terapeuta PST, habilitado e treinado, de maneira que o paciente permaneça pela próxima hora acomodado da forma mais confortável possível.

 

A aplicação só será perceptível pela pequena lâmpada (LED) que piscará no equipamento, demonstrando a atividade, e que a aplicação terapêutica estará em pleno progresso. Quando do término, o equipamento emitirá um ligeiro "bip" para alertar paciente e terapeuta.

 

A aplicação é bastante confortável, permitindo uma atmosfera acolhedora, favorável ao sentimento de bem-estar, relaxamento e sono. Geralmente, aos pacientes, é oferecida leitura para passar o tempo. É muito frequente que adormeçam, tranquilos, especialmente quando utilizada a cama.

 

 

Silenciosamente e sem dor.

 

A aplicação da PST é totalmente silenciosa, e a grande maioria dos pacientes a faz sem nada sentir.

 

Em alguns casos, poderá haver uma sensação de calor ou "formigamento" no local da aplicação.

 

Em raríssimos casos o paciente reporta algum aumento na dor pré-existente, ocorrência que não alterará o resultado do tratamento.

 

 

 

 

Com bons resultados, sem efeitos colaterais.

 

Os resultados, em geral, poderão ser mais bem prognosticados entre 6 a 8 semanas após a conclusão do tratamento. Entretanto, o efeito analgésico, para a maioria dos pacientes, costuma ocorrer logo após as primeiras aplicações.

 

Em mais de 70% dos casos, a PST proporciona progressos sensíveis, não só na reabilitação dos movimentos das articulações como também na atenuação e desaparecimento das dores. Mesmo nos casos em que ela eventualmente se mostrar ineficaz, não haverá nenhuma piora em relação ao estado inicial.

 

Os programas de verificação da permanência dos resultados feitos na Europa demonstram que os efeitos positivos do tratamento mantêm-se por um prazo de 24 a 30 meses em 77% dos casos tratados. Os restantes 23% podem conseguir novamente recuperar os efeitos positivos mediante a realização de reforços de de 3 a 6 sessões de terapia se se verificar um aumento da sintomatologia. Contudo, é frequente que o mesmo paciente trate de outras articulações ao longo do tempo.

 

O campo magnético gerado pelo equipamento tem intensidade muito baixa, equivalente a apenas um milésimo daquela de uma Ressonância Magnética. Graças a esse campo de padrão biológico, que imita os impulsos gerados pelo organismo sadio, não existem efeitos colaterais.

 

 

Benefícios e Vantagens

 

A terapia PST apresenta um vasto conjunto de benefícios e qualidades almejadas pela medicina moderna:

 

Não invasiva

 

Não há nenhuma incisão ou penetração no corpo, nem administração de substâncias químicas. A terapia é realizada posicionando-se adequadamente a articulação a ser tratada na bobina geradora do campo magnético. Não há necessidade de o paciente tirar a roupa ou de vestir qualquer traje especial. O equipamento PST enviará à articulação afetada campos eletromagnéticos pulsáteis de baixa intensidade e freqüência variável, que estimularão a reconstrução do seu campo elétrico fisiológico, estimulando a reativação do processo de regeneração dos tecidos afetados. É um tratamento simples de ser administrado, bem tolerado pelos pacientes, independentemente da idade e condição física.

 

Biológica

 

O sinal PST corresponde ao sinal eletrofisiológico produzido por uma articulação sadia em movimento. Reproduz, desta forma, os mecanismos biológicos do corpo humano, estimulando o metabolismo celular e os processos naturais de regeneração (por meio da estimulação dos condrócitos).

 

Indolor

 

A Terapia PST é indolor. Alguns pacientes podem sentir uma sensação de formigamento e/ou aquecimento na região que está sendo tratada, assim como experimentar um aumento temporário da dor durante o tratamento. Isto é considerado um sinal positivo, devido à resposta do organismo à estimulação da PST. Muitos pacientes, entretanto, podem sentir a redução da dor e melhoria na mobilidade e funcionalidade da região tratada já durante a aplicação da terapia.

 

 

Isenta de efeitos colaterais

 

O campo magnético gerado pelo equipamento tem intensidade muito baixa, equivalente a apenas um milésimo de uma Ressonância Magnética. Graças a esse campo de padrão biológico, que imita os impulsos gerados pelo organismo sadio, não existem efeitos colaterais. Até a presente data não são conhecidos quaisquer efeitos colaterais adversos.

 

 

 

 

Eficaz

 

Estatisticamente, em mais de 70% dos casos, a PST proporciona progressos sensíveis, não só na reabilitação dos movimentos das articulações como também na atenuação ou desaparecimento das dores. Verifica-se que, além da melhora nos aspectos clínicos (redução na intensidade da dor, na frequência da dor e aumento na mobilidade articular), a PST proporciona a melhoria da qualidade dos tecidos conjuntivos existentes, retardando o processo degenerativo e, portanto, propiciando melhor qualidade de vida. Os resultados costumam ser duradouros, não sendo frequente a necessidade de reforço da terapia e, raramente, da sua repetição na mesma articulação.

 

 


Perguntas Frequentes


 

O que significa PST? É o acrônimo de Pulsed Signal Therapy, uma nova tecnologia para o tratamento de lesões crônicas e doenças degenerativas do sistema musculoesquelético.

 

Como funciona a tecnologia PST? Seu princípio científico consiste, apenas, em imitar os sinais elétricos de regeneração emitidos pelo próprio corpo, estimulando os processos de reparo e cura das articulações, cartilagens e tecidos afetados.

 

Existem sinais elétricos nas articulações? Sim. Assim como, por exemplo, existem no cérebro e nos músculos do coração. Os impulsos elétricos das articulações enviam os sinais que estimulam as células das cartilagens (condrócitos) a produzirem os materiais adequados para a sua constante renovação (colágeno do tipo apropriado, além de proteínas como proteoglicanos e glicosaminoglicanos).

 

Como esses pulsos elétricos são produzidos pelo corpo? Pela movimentação das articulações. A cartilagem age como uma esponja que absorve e libera o líquido sinovial. Daí, a cada ciclo do movimento, cargas elétricas positivas existentes na substância sinovial aproximam-se e afastam-se da matriz cartilaginosa, que tem carga negativa. Essa movimentação de aproximação e afastamento de cargas elétricas é a causa do aparecimento dos pulsos eletromagnéticos.

 

Se uma articulação não pode se movimentar, os impulsos param? Que faz então a PST? Sim, numa articulação traumatizada ou atingida por artrose, com a movimentação comprometida, os sinais vão se atenuando com o passar do tempo, causando a falta de reposição dos materiais que formam as cartilagens. Portanto, numa articulação atingida pela artrose ou trauma, PST estimula a produção dos materiais por meio da emissão de impulsos adequados, que são recebidos como se fossem produzidos pelo próprio corpo. Consequentemente, o ciclo vicioso da perda de cartilagem é interrompido e se dá início ao processo de reparo da articulação.

 

Quais são as principais indicações da PST? A PST é recomendada no tratamento de artroses, síndromes dolorosas agudas da coluna vertebral, tendinopatias, nos traumas e lesões do sistema locomotor causados por acidentes e/ou esforços repetitivos e como adjuvante no tratamento das doenças reumáticas.

 

Como a Terapia PST é aplicada? A Terapia é realizada em 9 sessões, em dias consecutivos, cada uma com uma hora de duração. Algumas patologias requerem 12 sessões. Pode ser realizada apenas uma sessão por dia. Em alguns casos, permite-se a realização de duas sessões ao dia, com um intervalo mínimo obrigatório de 5 horas entre cada sessão.

 

A PST causa dor? A Terapia PST é indolor. Alguns pacientes podem sentir uma sensação de formigamento e/ou aquecimento na região que está sendo tratada, assim como experimentar um aumento temporário da dor durante o tratamento. Isto é considerado um sinal positivo, devido à resposta do organismo à estimulação da Terapia. Muitos pacientes, entretanto, podem sentir a redução da dor e melhoria na mobilidade e funcionalidade da região tratada já durante a aplicação da Terapia.

 

Quais são as vantagens da PST? A terapia PST engloba as seguintes conquistas:

• É uma terapia não invasiva;
• É silenciosa e indolor;
• É isenta de efeitos colaterais;
• É eficiente, podendo apresentar resultados tanto em curto como em longo prazo.

 

Quais os resultados da PST? Estatisticamente, 70% ou mais dos pacientes submetidos a PST apresentam melhora significativa em 3 aspectos clínicos: redução na intensidade da dor, na frequência da dor e aumento na mobilidade articular.

 

Em quanto tempo se pode avaliar o resultado da PST? A grande maioria dos pacientes sente uma melhora inicial entre a 5ª e 9ª sessão do tratamento. No entanto, em termos de resultados concretos, estatisticamente, estes ocorrem da seguinte forma: 90% dos pacientes, entre o 2º e 3º mês após a conclusão da terapia; os restantes 10% entre o 4º e 6º mês. As avaliações iniciais devem ocorrer entre a 6ª e 8ª semanas após a conclusão do tratamento.

 

O que acontece quando PST não dá resultado? Não há nenhuma piora em relação ao estado inicial. Não existem efeitos colaterais.

 

Posso tratar de duas articulações simultaneamente? Somente ombros e quadris são tratados simultaneamente, visto serem articulações interconectadas. O mesmo não ocorre com as articulações dos membros (braços e pernas). Assim sendo, a terapia PST não é eficaz no tratamento simultâneo dos dois joelhos, de ambos os pés, de ambas as mãos e assim por diante. (Esse fato foi constatado experimentalmente pelos pesquisadores bem antes da PST ter sido lançada comercialmente na Alemanha, em 1996). Nesses casos, deve-se iniciar o tratamento pela articulação mais problemática e completar todas as sessões. Somente depois de completado o primeiro tratamento deve-se iniciar um segundo na outra articulação.

 

Com que frequência tem-se que fazer a terapia PST? Os programas de verificação da permanência dos resultados feitos na Europa demonstram que os efeitos positivos do tratamento mantêm-se por um prazo de 24 a 30 meses em 77% dos casos tratados. Os restantes 23% podem conseguir novamente recuperar os efeitos positivos mediante a realização de reforços de 3 sessões de terapia se se verificar um aumento da sintomatologia. Contudo, é frequente que o mesmo paciente trate de outras articulações ao longo do tempo.

 

É necessário receita para fazer a terapia PST? Sim. A prescrição médica é necessária para que a terapia seja aplicada.

 

PST é autorizada pela Vigilância Sanitária / Ministério da Saúde? A empresa Bio Magnética Equipamentos Ltda. está registrada na ANVISA/MS sob o número 8.01615-8, e os equipamentos PST também estão devidamente registrados. Para consultar os registros clique em Registros ANVISA/MS.

 

PST é coberta pelos convênios médicos? Não. Os pacientes são atendidos como particulares nas Clínicas que dispõem do licenciamento para a aplicação da terapia.

 

Posso continuar a tomar meus remédios durante a PST? Seu médico saberá aconselhá-lo sobre quando parar ou não de tomar as medicações.

 

PST é medicina com base ou é uma terapia alternativa? PST é o resultado de pesquisas iniciadas nos anos 80 e comprovada cientificamente através de dezenas de publicações internacionais. Foi lançada comercialmente na Alemanha em 1996 e está sendo adotada progressivamente em dezenas de países. PST é, portanto, medicina avançada, constituindo-se freqüentemente na melhor — aí sim — alternativa frente a uma perspectiva de intervenção cirúrgica ou de uma situação de intolerância a medicamentos.

 

Como e quando PST apareceu no Brasil? Em outubro de 2002, PST foi apresentada pela primeira vez aos médicos brasileiros durante o 34º Congresso de Ortopedia e Traumatologia, promovido pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), em São Paulo.

 

PST serve "só" para o tratamento da Artrose? Se examinarmos as informações adicionais contidas na literatura, verificaremos que uma série de outras patologias têm sido tratadas com sucesso por PST. Note, entretanto, que tais resultados, apesar de auspiciosos, são circunstanciais.

 

Quais outras lesões ou patologias já são tratadas com PST? No livro Pain Management - A Practical Guide for Clinicians, capítulo 57, constam resultados positivos porém, em muitos casos, circunstanciais. Consulte a informação completa em Estudos Científicos. Lá são citados: Traumas Agudos do Esporte, Zumbido de Ouvido (Tinnitus), Disfunções da Articulação Temporo-mandibular (ATM), Doenças Peridontais, Síndrome do Túnel do Carpo (Pulso), Tendinites e Danos aos Ligamentos, Osteoporose, Necrose Asséptica, Necrose Avascular, Fibromialgia, Ciática, Metatarsalgia, Enxaqueca, Dores na Coluna e no Pescoço, Contratura de Dupuytren e outras patologias.

 

Atenciosamente,

 

COFIG

 

 

Quem SomosTOCPSTConsultóriosMédicosConvêniosInformaçõesFotos e VídeosFale Conosco